11/05/2023 às 17h13min - Atualizada em 12/05/2023 às 00h00min

Em abril, preços de remédios têm queda de 6,99%

Em pesquisa feita pela Precifica que envolveu medicamentos de nove grupos distintos, os antigripais apresentaram o maior recuo, seguidos dos analgésicos; por outro lado, os anticoncepcionais tiveram a maior alta

SALA DA NOTÍCIA Vinicius Maranduba

Levantamento feito pela Precifica, empresa especializada em soluções de pricing, como o monitoramento de preços do e-commerce, mostra que o IPM-COM (Índice de Preços de Medicamentos no E-commerce) apresentou recuo de 6,99% em abril na comparação com março de 2023. O estudo envolveu os remédios mais procurados pertencentes a nove grupos diferentes e comercializados em 6 redes farmacêuticas com atuação no comércio eletrônico. 

Os antigripais foram os medicamentos com maior redução de preço, 14,36%, seguidos dos analgésicos (11,71%). Na sequência estão os antiparasitas (11,41%), os antidiabéticos (9,50%), os anti-histamínicos (3,20%), os relaxantes musculares (1,33%) e os antissépticos (1,17%). Registraram alta os anticoncepcionais (9,32%) e os anti-hipertensivos (2,51%).   

O recuo registrado em abril diverge do resultado de março, quando houve alta de 2,12%; os vilões, nesse caso, foram justamente os antigripais, cuja elevação havia alcançado 9,78%. Agora esse mesmo grupo de medicamentos registrou o maior peso na diminuição média dos preços. Aliás, o que se observa é uma gangorra, pois em janeiro e fevereiro aconteceram quedas de 2,66% e 5,66%, respectivamente; em março, o percentual voltou a subir e, no quarto mês do ano, caiu novamente. 

A redução nos preços dos medicamentos registrada pela Precifica coincide com as medições oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo o órgão governamental, a prévia da inflação de abril (IPCA-15) registrou alta de 0,57%, menor do que o percentual de 0,69% do período anterior. No entanto, a composição da prévia do índice oficial aponta para alta de  2,52% no grupo de produtos farmacêuticos na região metropolitana de São Paulo.  

Deve-se considerar que a medição feita pelo IBGE envolve a análise de preços em todas as regiões do país e em outros grupos de medicamentos não monitorados pelo índice da Precifica. Daí a diferença percentual entre o IPCA e o IPM-COM. da gangorra de preços mês a mês, mostram que é preciso atenção e agilidade das farmácias e drogarias na adequação dos preços de venda. 

“Como todo varejo, o farmacêutico também trabalha com milhares de itens nas prateleiras. Acompanhar o sobe e desce dos preços para adequar os valores de venda para cada produto não é tarefa simples. A melhor forma de definir precificação e promoções assertivas é com o uso de tecnologia. Soluções de pricing, principalmente aquelas baseadas em inteligência artificial (IA), são capazes de monitorar a concorrência, o comportamento dos consumidores e sugerir preços competitivos para que o varejista não fique atrás da concorrência no mercado”, afirma Ricardo Ramos, CEO da Precifica. 

Sobre a Precifica 

Criada em 2013, a Precifica é uma das maiores empresas brasileiras especializadas em soluções de pricing. Por meio de seus serviços, traduz o comportamento do mercado em informações precisas, auxiliando varejistas, OTAs e indústrias a tomarem as melhores decisões de acordo com a concorrência, o consumidor e a demanda, definindo assertivamente suas estratégias de pricing. A empresa monitora mais de 1 bilhão de data points/mês, em mais de 1,2 mil sites, e conta com mais de 1,5 mil usuários em seis países da América Latina. Para mais informações, acesse: www.precifica.com.br. 

  

Informações à imprensa 

NB Press Comunicação    

Tel.: 55 11 94326-8746   

E-mail: precifica@nbpress.com.br     

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://ynovenoticias.com.br/.